Mulher denuncia segurança de metrô por racismo, após ter filhas chamadas de “bucha 1 e bucha 2”


Mãe de duas meninas, gêmeas, de três anos, denunciou um segurança da CCR Metrô Bahia, concessionária que administra o metrô de Salvador, por ter supostamente cometido racismo com as crianças, no último sábado (25), na Estação Rodoviária do metrô.

Em entrevista ao BNews, Sandra Weydee contou que voltava do Shopping da Bahia com as filhas, quando um segurança teria chamado as meninas de “bucha 1 e bucha 2”.

“Minhas filhas são modelos e estavam usando um black [corte de cabelo] bem original. Geralmente, eu uso creme no cabelo delas, mas, dessa vez, o cabelo estava trançado há alguns dias e o black estava mais seco, mais armado. Quando o segurança olhou, ele gritou: ‘Misericórdia! Bucha 1 e bucha 2!’”, disse Sandra.

Ela contou que, por conta do susto, não teve reação inicial. “A medida que eu ia caminhando, fui percebendo o que tinha acontecido. Uma delas [das filhas] até me perguntou: ‘Por que ele me chamou de bucha?’, e começou a chorar, querendo esconder o cabelo. Foi aí que decidi voltar para falar com o segurança, mas ele não estava mais lá”, descreveu.

Segundo ela, outro segurança que presenciou a cena teria pedido desculpas e tentou defender o colega de trabalho, dizendo que ele não falou para ofender.

“Ao chegar na Estação Retiro já tinha uma mulher da CCR me esperando. Ela pediu meu telefone e disse que a coordenação iria entrar em contato comigo, mas ninguém me ligou ainda. Tentei registrar um Boletim de Ocorrência (BO), mas me disseram que eu deveria ir na Delegacia Especializada na Repressão a Crimes Contra Criança e Adolescente (Derca), na quarta-feira (29) pela manhã, por conta da ”, .paralisaçao dos policias civis contou
“Alguns amigos me aconselharam que eu deveria deixar para lá, mas não posso ser conivente com isso. Eles vão continuar fazendo isso, achando que é uma brincadeira. A gente grita ‘misericórdia’ quando vê uma desgraça, não é?”, questionou.

Procurada pelo BNews, a CCR Metrô Bahia esclareceu que “repudia atitudes racistas ou discriminatórias" e está apurando o caso. 

“A concessionária ressalta ainda que respeita e valoriza a pluralidade da Bahia e reforça o seu compromisso com a promoção da igualdade étnico-racial e de gênero”, ressaltou a concessionária, em nota.

Fonte: BNews

Postar um comentário

0 Comentários